sobre a rede

Rede de empreendedores, artistas e produtores de cultura negra que atuam com foco no Estado de São Paulo.O projeto começou em maio de 2011, com a Roda de Conversa, programa proporcionado pelo Centro Cultural da Espanha em São Paulo por meio da AECID (Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento) e que teve a função de levantar temas que a rede gostaria de trabalhar e aperfeiçoar. A iniciativa estava alinhada com o processo de implementação do Programa Afrodescendentes do CCE naquele ano, que foi estabelecido pelas Nações Unidas como o Ano dos Afrodescendentes.

Divulgação - Foto: Regina Elias (CCE_SP/AECID)

Divulgação – Foto: Regina Elias (CCE_SP/AECID)

A partir dessas conversas iniciais, estruturou-se formalmente uma rede autogestionada e interdependente de empreendedores. Desde então, com a parceria do CCE-SP/AECID, constitui-se uma “incubadora” para a elaboração de planos estratégicos, missão e metas para esse projeto inovador de desenvolvimento cultural.

Objetivo Provocar reflexões, capacitar, articular, estabelecer parcerias com instituições públicas, privadas nacionais e internacionais, além de criar estratégias e ferramentas, que ampliem a atuação desses profissionais no mercado da gestão cultural, fortalecendo núcleos de empreendedorismo e produção sociocultural negra.

Missão e visão Tornar-se referência para a iniciativa privada, poder público e terceiro setor como modelo de organização fundamental no desenvolvimento e articulação de politicas, programas e empreendimentos relacionados à cultura negra.

O que faz? Articula e desenvolve ações, produtos e serviços de cultura negra com grau de excelência, profissionalismo e com o olhar estratégico para troca de informações.

Para que faz? Para fortalecer os integrantes da rede juntamente com os seus trabalhos; Para fortalecer a cultura negra e reconhecer a sua valia dentro do conceito macro de diversidade; Potencializar, difundir, desenvolver a cultura negra no estado de São Paulo.

Para quem faz? Integrantes da rede; Sociedade civil; Empreendedores, produtores, artistas, pesquisadores e profissionais ligados à cultura negra.

Valores Criar estratégias que pautem a cultura negra nas políticas públicas culturais do estado de São Paulo. As decisões e ações resultam de processos coletivos e democráticos, por meio de núcleos e comissões pré-estabelecidas, criando um ciclo de interação e participação. A rede não é institucionalizada, não possuindo CNPJ até o presente momento. Os trâmites financeiros são realizados em sistema rotativo com empreendimentos da rede disponibilizando CNPJ para emissão de notas, pagamentos e afins de contratações feitas por meio da kultafro.

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *