A FPW discutiu estratégias de comunicações para os afro-descendentes

Redação Kultafro,

O seminário de  Boas Praticas na produção cultural negra do dia 11\12 no C.C. São Paulo, refletiu através de convidados dos Estados Unidos e Brasil, o tema “Estratégias de Comunicação para o Público Afrodescendente” com a parceria do Consulado Geral dos EUA. Foram relatos apresentados por convidados olhando para o presente e futuro. O painel com  João Silva da Agência Maria Comunicação (Salvador e Brasília),  McGhee Osse e Luana Martins da  Agência Burrell Communications  (Chicago)  e Carol Mara (Pra Preta). Apresentação de Jairo Pereira (Diário Preto) e Thobias Jr (consultor Nacional do Sebrae). A Mediação ficou por conta de Paulo Rogério (Mídia Étnica e Portal Correio Nagô  de Salvador) e o Marcio Macedo, Doutorando em sociologia na The New School for Social Research, Nova York. Em síntese com todas essas contribuições, podemos sinalizar que embora o Brasil enfrente muitos problemas sociais, políticos e econômicos, as poucas oportunidades estão sendo muito bem aproveitadas. A prova disso são os cases apresentados  pelos convidados  e algumas estatísticas que apresentam  3,8 % dos afro-brasileiros são identificados  profissionalmente como empresários, e vale acrescentar que as mulheres protagonizam esses índices. A McGhee Osse, Chief Executive Officer (CEO) da Burrel Comunications, informa que estão entrando no mercado brasileiro, por reconhecer que vai ser difícil para as empresas  desprezarem um mercado potencial de 673 milhões de reais. O encerramento ficou por conta do show da banda Vitrola 70 .

Curadoria Centro Cultural São Paulo e Adriano José ( Rede Kultafro)

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *