Adriana Barbosa: Primeira experiência da Feira Preta Franquia Social no Maranhão

Por Redação Kultafro,

A I Feira de Cultura Afro-Brasileira do Maranhão, que será lançada no dia 29 de agosto, às 17h, visa promover a cultura negra e estimular a geração de renda e o empreendedorismo do estado

O empreendedorismo afrodescendente do Maranhão está prestes a ganhar uma nova vitrine. Trata-se da I Feira de Cultura Afro-Brasileira do Maranhão, evento fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Igualdade Racial do Maranhão e a Fundação Cultural Palmares/MinC (FCP), que visa promover a cultura afro-brasileira e estimular a geração de renda e o empreendedorismo do estado.

A solenidade de lançamento acontecerá na próxima quinta-feira, 29/08, às 17h, no auditório da Associação Comercial do Maranhão, localizado na Praça Benedito Leite, Centro de São Luís, e contará com a participação da secretária de estado da Igualdade Racial, Claudett Ribeiro, e e Lindivaldo Júnior, diretor do Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-Brasileira da Fundação Palmares.

A proposta vem sendo gestada pela Seir desde o ano de 2011, quando realizou em parceria com o Sebrae/MA o workshop sobre empreendedorismo étnico, voltado para empreendedores negros, com a participação da presidente do Instituto Feira Preta, Adriana Barbosa, que é também responsável pela realização da Feira Preta, considerada um dos maiores eventos da América Latina voltados para o desenvolvimento empresarial e socioeconômico do mercado de produção e consumo da população negra.

Para Ana Amélia Mafra, representante da FCP no Maranhão, o evento é uma ótima oportunidade para que os empreendedores negros acumulem experiências sobre economia criativa. “Os empreendedores poderão se apropriar de conhecimento e informações para se aprofundar em suas áreas de atuação”, afirma. “Além do mais, é uma reunião que valoriza a população negra e evidencia o seu papel empreendedor”, analisa.

De acordo com Adnilson Pinheiro, secretário adjunto da Igualdade Racial e coordenador da comissão organizadora da feira, o lançamento marcará mais uma etapa da mobilização de produtores, artesãos e empreendedores que tenham atuação voltada para o segmento afrodescendente da população. “Além disso, queremos sensibilizar parceiros para esta grande empreitada na divulgação da cultura afro-brasileira e na criação de oportunidades de negócios para esse público alvo”, afirma.

A atividade será iniciada com apresentação do projeto da feira, destacando seus objetivos e plano de ação. Em seguida serão apresentadas as propostas de logomarca do evento para que os convidados e parceiros participem da escolha da identidade visual da feira.

Na programação está ainda a palestra “Desenvolvimento e empreendedorismo negro: desafios e perspectivas”, que será proferida pelo consultor do Sebrae Nacional, João Carlos Nogueira, atual coordenador executivo do Projeto Brasil Afro Empreendedor.  A noite será encerrada com apresentação cultural de grupos de Tambor de Crioula.

Reunião de empreendedores – A I Feira de Cultura Afro-Brasileira do Maranhão será realizada nos dias 31 de novembro e 1º de dezembro, no Ceprama, na Rua de São Pantaleão, Centro de São Luís. Também atuam como parceiros da iniciativa as secretarias de estado do Turismo (Setur), da Cultura (Secma), de Comunicação Social (Secom) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/MA).

A proposta vem sendo gestada pela Seir desde o ano de 2011, quando realizou em parceria com o Sebrae/MA o workshop sobre empreendedorismo étnico, voltado para empreendedores negros, com a participação da presidente do Instituto Feira Preta, Adriana Barbosa, que é também responsável pela realização da Feira Preta, considerada um dos maiores eventos da América Latina voltados para o desenvolvimento empresarial e socioeconômico do mercado de produção e consumo da população negra.

Claudett Ribeiro, secretária da Igualdade Racial, conta que a ideia é fortalecer a produção cultural, a geração de renda e as iniciativas de empreendedorismo afrodescendente no Maranhão. “Vamos reunir neste espaço artistas, artesãos, empresários, gastrônomos, profissionais do ramo da beleza, enfim, empreendedores afrodescentes para discutir empreendedorismo étnico e também expor suas produções”, afirmou.

Além da exposição de produtos a feira realizará cursos, wokshops, exibição de vídeos, apresentações culturais e desfile de moda.

Fonte:

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *