Gilberto Gil: “Copa sem negros e pobres não dá!!”

PORTAL CORREIO NAGÔ

Durante entrevista coletiva que tinha como principal função divulgar o lançamento de sua biografia, “Gilberto Bem Perto”, mas que terminou por enveredar para diversos temas, o cantor Gilberto Gil criticou, na tarde desta quinta-feira (04), em Paraty (RJ), a ausência de acesso da população negra e pobre às partidas da Copa das Confederações e da Copa-2014, no Brasil, por causa do alto preço dos ingressos.

“Tem de haver uma mobilização autopromovida pelas favelas, pelas periferias, para suprir a carência que esses grandes eventos globais acabam impondo ao Brasil, que é a filtragem pelo preço dos ingressos”, teria dito o ex-ministro da Cultura, segundo informações da Folha, que afirmou ter ido ao Maracanã no último domingo, para a final entre Brasil e Espanha.

“Fiquei na tribuna de honra, ao lado do [Joseph] Blatter [presidente da Fifa], do Zagallo, Ivete Sangalo, Jorge Ben Jor. Quando cheguei em casa, vi pela TV que o lugar onde os jogadores correram para abraçar a torcida não tinha o matiz racial brasileiro, era esbranquiçado. Isso no Maracanã, onde as pessoas da Mangueira costumavam descer para ver os jogos.”

Segundo Gil, mesmo em Salvador –apontada como a que tem maior população negra do país–, a ocorrência se repetiu. “No jogo da Nigéria, na Bahia, onde a população negra baiana deveria ter sido mais mobilizada a participar, eu via que a questão econômica pesava muito. Portanto, seria interessante criar cotas, fazer uma mobilização para que esse arco-íris brasileiro ficasse mais bem representado nos jogos da Copa.”

O cantor ressaltou ainda o exemplo de um grupo de jovens paulistanos que procurou sua mulher, Flora Gil, para alugar um apartamento que ela tem em Salvador, onde o grupo iria assistir à partida entre Brasil e Itália pela Copa das Confederações. “Quem quer ir ver os jogos nos estádios, é só a classe média paulista, carioca etc.? Ou as periferias também querem? É essa a questão. Como é que a gente vai resolver isso, para ter uma pluralidade maior dentro dos estádios? Senão ficam só os cinco meninos de São Paulo, possivelmente descendentes de italianos, que podem pagar uma passagem de avião, que foram ver o jogo e aproveitaram para comer um acarajé, fazer um pouco de turismo em Salvador.”

Ao ser informado de que a Fifa tinha anunciado um projeto a fim de vender ingressos a preços populares, Gil lelencou outras sugestões. “Tem de haver vários meios. Um banco que pode criar um empréstimo, uma empresa qualquer que pode patrocinar aquilo ali, fazer com que os meninos da Rocinha, da Mangueira ou da Cajazeiras, em Salvador, possam comprar aqueles ingressos, pagar em três ou quatro vezes. Enfim, mobilizar. Há uma vontade da população brasileira de ir aos jogos. Como é que se atende a isso?”

O compositor lembrou ainda que a maior parte dos grandes jogadores da história do futebol nacional vêm justamente das camadas populares que não conseguem pagar o preço do ingresso para as grandes competições. “É a história do futebol, os grandes atletas no mundo inteiro vêm dessas classes populares. É de onde se origina o Hulk, o Neymar, o Romário, o Bebeto, o Ronaldo, o Garrincha, o Pelé.”

Fonte:

Comments: 4

  • Rafael julho 06, 2013

    Legal… Mas nós não precisamos de mais circo, precisamos de educação de qualidade! Agora ficam brigando para aparecer em novelas, ir à estádios??? Não temos nada a ver com eles, mas deveríamos seguir o exemplo dos japoneses… Veja se eles estão preocupados com esse circo, se estão preocupados se acham eles bonitos, atraentes, sexy… Não, eles estudam e trabalham! Sou a favor das cotas para educação, que a salvação de nossa gente!!!

    Reply
  • Jailton Neves julho 06, 2013

    Empréstimo?Pagar em 3 ou 4 vezes pra ir no circo que a FIFA está motando no Brasil,pra sair daqui mais enriquecida?É ilusão alguém achar que o povo pobre das favelas precisam de pão e circo.O Povo pobre desse país,precisa de alimento,emprego,saúde,educação,segurança pública,mas nada disso é preocupação dos Governantes desse país.Criar uma classe média consumista,religiosa,conservadora e hipócrita é fácil,quero ver dar ma vida digna ao Povo pobre.!
    hipócrísia,agente ve por aqui

    Reply
  • indynho julho 06, 2013

    parabens pela materia… o Gil nos orgulha …tbm queremos ver a copa 2014

    Reply
  • Marcos Romão julho 06, 2013

    Toda a vez que vou no supermercado na minha esquina de um bairro popular, tenho que dizer duas ou tres vezes “DÉBITO” diante do olhar espantado da caixa na hora de pagar, pois a maioria já tá comprando até feijão a crédito, só não o faço porque não tenho crédito.
    Perguntemos ao Gilberto Gil se dá para ir nos estádios com crédito consignado, hipoteca do barraco ou papagaios de agiotas à perder de vista?
    Vai ser o Baú do Gil Expresso 22-22- Coisa de maluco ao quadrado.
    Estou mais com Frei David, cotas de 50% nos estádios, com preços subsidiados pela FIFA(subsídio da Fifa é ideia minha)–As frações para as minorias podem ser discutidas qual leva o que.
    O Gil se não cuidar, vai ficar igual ao Pelé, o preço de seu silêncio vai valer ouro ou créditos para a próxima abobrinha digital direto no seu celular.

    Reply

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *