VII Semana da África na Bahia

Por Rosyane Silva

Começou no dia 20 de maio as comemorações pelo dia da África em Salvador. Em sua 7ª edição tem como temas :Identidades africanas na produção audiovisual em África e na sua diáspora.
Coordenados pela Guineense Artemisa Odila e os alunos africanos da UFBA E UNEB, o evento acontece na UFBA (Universidade Federal da Bahia) campus CEAO e de Economia e na UNEB(Universidade Estadual da Bahia).
Nos dias 20 e 21 foram realizadas oficinas e palestras para 100 professores da rede pública com o tema da Semana em paralelo com os 10 anos da lei 10 639\03 que obriga o ensino de história e da cultura afro-rasileira nas escolas..
No dia 22 as mesas redondas abordaram os temas: Imagens da África: o papel dos Estudos Africanos e África, cinema e etnografia. Os participantes refletiram sobre o papel e a importância da África na construção da imagem do negro no mundo e na contemporaneidade.

Equipe de produção da VII Semana da África (Artemisa Odila,estudantes africanos e monitores), público presente no Seminário

No dia 23 as sessões de comunicação tiveram as salas lotadas, as discussões foram intensas e produtivas. Foram apresentados trabalhos , estudos e pesquisas voltadas para a área de comunicação negra(africana e brasileira).

Compondo a mesa Antônio Olavo(Cineasta Brasil),Carlos Cardoso (Council for the Development in África(Guiné-Bissau), Joel Zito Araujo, Póla Ribeiro( Instituto de Radiodifusão Educativa Bahia)

As mesas realizadas na UFBA-campus de Economia abordaram os temas: Cinema africano e cinema negro : produção, circulação e politicas e África nas escritas africanas. As falas tratavam sobre o cinema africano em sua diáspora e também sobre a dificuldade de produção e veiculação de filmes com negros e para negros. As línguas africanas foram discutidas do ponto de vista literário na sua imensa diversidade de idiomas.
Simultaneamente no prédio do CEAO(Centro de Estudos Afro-Orientais) as mesas tiveram como tema: Intercâmbio científico e novas relações Brasil- África: o caso dos estudantes PEC-G, onde os convidados explicaram e esclareceram duvidas sobre os processos do convenio dos estudantes africanos com as universidades brasileiras. E logo depois as reflexões foram sobre a lei 10 639. O assunto é polêmico e provoca reflexões sobre seus benefícios e dificuldades na implantação da lei, mesmo passados 10 anos de existência.

Amarino Queiroz(Universidade Federal do Rio Grande do Norte) Marlon Marcos(Pesquizador Salvador), Joaquim Arena (Escritor), Rita Chaves (USP)

As mesas- redondas estavam previstas para termino as 18 horas, mas os temas renderam discussões, intervenções e sérias reflexões que mesmo próximo das 19 horas as salas ainda estavam cheias; foi difícil concluir os trabalhos.
A VII Semana da África termina no sábado,25 de maio, dia em que se comemora o dia da África. Na sexta e sábado ainda acontecerão sessões de Comunicação, mesas redondas, Feira de empreendedorismo negro e eventos culturais( desfiles e shows).
Discutir as Áfricas no continente e fora dele,  requer tempo, dedicação, curiosidade e fica expressa quando olhamos nos olhos dos participantes, notamos que  é visível sentir quanta paixão os move. Esse continente não é só grande em extensão, mas também em culturas, diversidades e sabedorias.
Quanto mais conhecemos as Áfricas, mais desvendamos sobre o Brasil.
Por Rosyane Silva – Kultafro em Salvador
– Rosyane Silva  71 9376 8967 

    Jornalista – MTB 57238/ SP

      twitter: @Rosysilwa

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *