Na “Virada”, entre a Câmara Municipal e a República, o samba pede passagem.

Por Pakuera Kultafro

As pressões  das comunidades do samba na cidade de São Paulo , decidiram e vão efetivar no próximo final de semana, o que a comissão organizadora da Virada Cultural 2013  não queria, isto é, incluir na programação oficial o que a cidade tem de melhor nesse gênero musical.
Varias reuniões entre sambistas, simpatizantes  e singulares representantes da Câmara Municipal e Assembleia Legislativa , onde transformaram  esses encontros  em um  fato inédito, isto é,  juntos pela primeira vez na história,  reunidos para defender  na prática   e afirmar que o samba paulista não é um “fantasma” criado e divulgado poeticamente pelo compositor carioca Vinícios de Morais. Os sambas são obras construídas por mulheres e homens cidadãos, que sabem além da poesia, música e silêncios, defender os seus direitos.

Cabe um destaque em particular nessa mobilização, para a mulher Leci Brandão, sambista, deputada que embora carioca de nascimento, sabe que os sambas com diferentes sotaques  são ao mesmo tempo  produtos da cultura regional e nacional .O resultado disso tudo é: O que a comissão organizadora dividiu, o samba vai unir, no próximo sábado dia 18\05 para 19\05 nos palcos da Câmara Municipal e a Praça da República.

“…..Queremos um canto forte, pra ver o samba vencer. O samba “paulista” está esperando você”.. Que viva samba…..!!!

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *