Feira Preta uma grande oportunidade de negócios para São Paulo

11ª edição da Feira Preta se tornou uma grande oportunidade de negócios para São Paulo.

 

Por Luiz Paulo Lima

Entre os dias 11 e 17 de novembro, aproximadamente 50 expositores, produtores e artistas de diversas localidades do estado e do país, participarão da Feira Preta\2012. Evento que acontece à 11 anos ininterruptos, único no gênero na cidade de São Paulo.

Alguns aspectos se mostram como estruturais nesta edição. O Instituto Feira Preta como promotor do evento, constituiu como tema inspirador, “O Poder da mulher negra”.

Várias pesquisas demonstram que as mulheres negras das classes B,C e D foram as que mais empreenderam e apostaram no desenvolvimento econômico sustentável dos seus negócios.

E os homens correm atrás do prejuízo, procurando se equiparar, capacitar e entender que a multifuncionalidade, características típicas contidas no “DNA” feminino, está levando alguma vantagem nesta sadia concorrência e nas relações com os mercados.
O ciclo natural de um empreendimento criativo e sustentável começa por incluir no modelo de negócios a responsabilidade social. Neste sentido a feira inovou este ano, seguiu a risca esta orientação, beneficiando na forma direta muitas pessoas e comunidades.

Para ingressar no evento será necessário a doação de um “Kit Natal”, isto é, (01 pacote de fralda+ 01 brinquedo novo + 01 kg de alimento não perecível).

Não temos ainda, uma pesquisa qualitativa que identifique com precisão quanto empreendedores somos e quais as modalidades dos seus respectivos empreendimentos.

Mas por outro lado as experiências tem demonstrado a existência de uma quantidade cada vez maior de pessoas autônomas, que produzem com qualidade produtos diferenciados, que saíram da informalidade, pagam seus impostos, obtêm créditos e benefícios.

A kultafro vai acompanhar de perto essas boas práticas, oportunidades que a Feira Preta proporcionou e proporciona no setor de negócios, ouvir estes diferentes atores sociais, suas críticas e sugestões propositivas, para que a cada ano a Feira se mostre mais eficiente nas suas diversas ações e propósitos.

A kultafro conversou por telefone com alguns expositores e segue o resultado desta iniciativa:

1) Xongani- arte com tecido
Empreendedoras:Cristina e Ana Paula Mendonça
E-mail: xongani.artecomtecido@gmail.com
Telefone de contato:011 3729 3829
Os acessórios serão vendidos a partir de R$ 8,00 e as peças de vestuário a partir de R$ 39,00.

Xongani/divulgação - Foto: Rodrigo Fuzar

Xongani/divulgação – Foto: Rodrigo Fuzar

Foto: Kit anel e brinco Xongani por R$ 19,00

Kultafro: O que levou a participar da Feira Preta?
Xongani: Nós já frequentávamos como cliente desde o começo na Praça Bendito Calixto, bairro de Pinheiros. Quando formalizamos a empresa, já pensávamos em apresentar os nossos produtos como expositor …..A primeira vez foi no Anhembi e o retorno foi excepcional…..Aí decidimos que não poderíamos mais faltar.. Foram até agora quatro edições..
Para este ano a expectativa é muito boa. Na última viagem que fizemos para Moçambique e Àfrica do Sul, trouxemos vários tecidos, cores e novas estampas, etc.

Kultafro: Quais as observações e criticas que faz sobre a Feira Preta?
Xongani: O que falta são investidores, incluir este projeto empreendedor no calendário oficial da cidade, afins de reduzir custos , porque são muito altos para nós empresários e para a Adriana, que é uma guerreira.

2) Marlene Arts
Empreendedora: Marlene B.S.Rocha
E-mail: marciareginar@uol.com.br
Telefone: 11 3984 4277

Marlene Arts/divulgação

kultafro: O que levou a senhora a participar da Feira Preta?
Marlene: Cheguei por indicação. Na primeira vez, a expectativa e intenção foram mostrar os meus trabalhos e me tornar conhecida. Enxerguei que a Feira tem um público cativo e negro principalmente. Continuei participando porque tive uma boa aceitação na primeira vez. E já se vão quatro edições.

kultafro: Quais são as observações e críticas que faz para este projeto empreendedor?
Marlene: Observei que 99% do público jovem vai para assistir os shows e participar das atividades. Quem compra são as famílias, a dona de casa. Este ano mudou o formato, a Feira vai funcionar das 05h á 1/2 noite. È um horário péssimo para mostrar e vender nossos produtos , principalmente para a parcela de público que verdadeiramente compra.

3) Resisto
Empreendedores:Julio e Leandro Ramos
Site: www.resisto.com.br
E-mail: contato@resisto.com.br
Loja: Rua 24 de maio , 116 (galeria presidente) loja 06 subsolo
O menor preço R$30,00 e o maior preço R$ 60,00

Resisto/divulgação

kultafro : Como foi o encontro com a Feira Preta?
Júlio: Eu sou formado em Design Gráfico e meu irmão Lendro em Administração. Conhecemos e participamos da Feira Preta em 2010, lá na Imigrantes….O grande teste foi o contato com o público, e a recepção dos produtos criados…
Até então só trabalhávamos com produtos masculinos. Não tínhamos a intenção de lucro nesta primeira participação, e sim demonstrar o conceito da marca, um impulso para continuar nos desenvolvendo.
A Feira abriu um olhar para a moda feminina. A mulher é mais consumidora, mais ativa, mais exigente, se preocupa com os detalhes e até no entendimento do conceito da marca.
Kultafro: Quais as observações e críticas que gostaria de fazer?
Júlio: Acho que a Feira poderia ter um suporte maior no lado social, uma feira com uma pegada mais social, mais aberta…
Ainda tem um público que gostaria de participar, e não participa por conta do preço da entrada. Os stands são muito caros. A melhor idéia aconteceu este ano, incluir a responsabilidade social no modelo de negócios da Feira.
O nosso objetivo nasce no conceito da marca, que é resgatar símbolos e figuras históricas negras , lançar nas estampa,  Carolina Maria de Jesus, Luiz Gama entre outros, levar para o público algo que fale sobre ele.

Resisto/divulgação

Luiz Paulo Lima

Luiz Paulo Lima

Jornalista, BK4 Comunicações

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *